terça-feira, março 28, 2006

 

Webwrinting X Redator jornalístico

O professor Crawford Killian, da Universidade de Vancouver - Canadá, lançou o livro “wrinting for the web” ( Escrevendo para web). O livro traz dicas para quem quer redigir para web e aborda várias questões como a diferença entre webwrinting e redator jornalístico.



Para o canadense Killian é uma realidade no virtual “Uma facção de profissionais prega a quase-filosofia de que webwriting não é "simplesmente" a redação para a web, mas muito mais do que isso; outra acredita que webwriting é apenas um nome pomposo para definir a adaptação de textos para a mídia online ou, em linguagem rasteira, os conceitos básicos da boa redação jornalística". E para esquentar o debate entre os profissionais da comunicação ele ainda diz que qualquer um pode escrever para a web “O webwriter pode ser jornalista, mas também pode ser um entusiasta, um especialista em comunicação corporativa, um marqueteiro, um artista, um editor, um educador, um bibliotecário. Como a redação para a web é uma habilidade especializada, ela se divide em muitas sub-especialidades, a depender da necessidade." Debates à parte, as dicas são legais e vale a pena para quem quer ser um profissional de web dar uma conferida no livro. Aqui vão algumas dicas que ele apresenta em seu livro:
Seja sucinto e preciso:

É difícil para a vista ler durante muito tempo em um monitor de computador, e a velocidade de leitura em uma tela é em média 25% menor do que em uma página impressa.) Isso significa que tudo que você escreve precisa ser o mais resumido possível. A idéia é transmitir a mensagem da maneira mais rápida, porque não há muito tempo.
Mantenha os parágrafos e sentenças curtos.
Não leve esse conselho ao extremo e torne seu texto muito simplório, mas Killian sugere que os parágrafos na Web não deveriam ter mais que, digamos, 75 palavras de comprimento, e que as frases neles sejam curtas.
Reduza os floreios:

Em um exemplo de como produzir textos enxutos e apropriados à Web, Killian sugere que você comece escrevendo trechos de entre 150 e 200 palavras. Depois, tente reduzi-los a cerca de 55 ou 60 palavras, e a partir daí acrescente os complementos que julgar necessários.
Use verbos fortes em lugar de fracos:
Escreva "decidir", não "tomar uma decisão". Ou "usar" em lugar de "fazer uso de". Essa técnica não só apresenta sua mensagem aos leitores da Web de forma mais vigorosa como também ocupa menos espaço.
Use a voz ativa:
Usar a voz passiva ("um sério erro foi cometido" é um risco ocupacional em campos como a escrita acadêmica, ciência e tecnologia, lembra Killian. Mas se você tem uma audiência geral, ela não cabe em um site da Web. Use a voz ativa ("você cometeu um erro sério") quando escrever para a Web, para que sua redação não o faça soar como um pedante. Usar a voz ativa também tende a usar menos palavras para dizer a mesma coisa, e para os leitores da Web que tendem a dar uma olhada no texto em vez de ler com atenção, a brevidade é crucial.
Atenção no uso de metáforas elaboradas.
Se você estiver descrevendo uma metáfora para governo como "o navio do Estado" em um parágrafo, e mais tarde no mesmo texto quiser ampliar a metáfora e chamar o Legislativo de "sala das máquinas", pode ser que a técnica funcione na mídia impressa, mas online não é assim. Os leitores podem pular de um ponto a outro de seu conteúdo, e "entrar" em um artigo pela metade. Se lerem apenas a parte final dessa metáfora, ficarão confusos.
Escreva e edite tendo em mente leitores internacionais:
Quando escrever para um site na Web, lembre-se de que pode ter uma audiência internacional. Os leitores dos Estados Unidos podem entender o que "fender bender" quer dizer (um congestionamento monstro), mas pessoas de outros países ficarão perplexas. Pense antes de empregar palavras ou frases características, sugere Killian.
Imprima o texto para corrigi-lo:
Uma vez mais voltando à realidade irrefutável de que é mais fácil ler em papel do que no computador, Killian implora aos editores da Web que imprimam todos os textos para uma revisão final , leia em voz alta seu texto para a Web -outra técnica para descobrir frases que soam mal e que você poderia perder se tentasse corrigir suas provas diretamente na tela.


Comments: Postar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?